Natal – RN: De base militar americana à modernidade do Século XXI

O Aeroporto Internacional de Natal – Governador Aluízio Alves é um complexo aeroportuário brasileiro, localizado no município de São Gonçalo do Amarante, no estado do Rio Grande do Norte. Localiza-se a 25 km do centro de Natal e a 36 km da Praia de Ponta Negra, onde se concentra a maior parte da zona hoteleira da capital potiguar. Foi concebido com o intuito de separar a aviação civil da militar, sendo que o Aeroporto Augusto Severo foi passado para uso exclusivamente militar, sob administração da Força Aérea Brasileira (Base Aérea de Natal).

Em operação desde o dia 31 de maio de 2014, o Aeroporto é o primeiro no Brasil administrado 100% pela iniciativa privada, o Consórcio Inframerica.

História

O primeiro aeroporto de Natal foi o Aeroporto Internacional Augusto Severo, localizado em Parnamirim, a seis quilômetros da zona sul de Natal, e foi o principal aeroporto comercial do Estado, operando de 1980 até maio de 2014, quando teve o controle devolvido a Força Aérea Brasileira, voltando a operar exclusivamente com aviação militar.

O aeroporto foi construído durante a Segunda Guerra Mundial com a finalidade de preparar uma base para operações de uma unidade de grande importância, afim de enfrentar qualquer ameaça e servindo de base de apoio às forças aliadas. Durante aquele conflito, o Aeroporto Augusto Severo foi o mais movimentado do mundo.

Visão aérea de Parnamirim, a “Base aérea amaricana em solo brasileiro”, década de 1940.

Era conhecido pelos americanos como “Parnamirim Field” e recebeu o apelido de “Trampolim da Vitória” pois durante a Segunda Guerra os aviões dos Estados Unidos pousavam em Natal para serem reabastecidos e prosseguirem para combater no Norte da África.

Aeronaves americanas em reabastecimento em Natal, 1942.

De 1943 a 1945, o aeroporto foi usado em conjunto pelo Exército e Marinha dos Estados Unidos, pela Royal Air Force, pelas linhas comerciais e pela Força Aérea Brasileira. A manutenção e segurança das instalações eram feitas pelo Exército dos Estados Unidos no Atlântico Sul (USAFSA).

Bombardeiros B-29 em Natal, 1944.

Em Março de 1980, o então Ministério da Aeronáutica transferiu à Infraero a missão de administrar o aeroporto. Nesta mesma data foram inauguradas as reformas realizadas nas instalações do terminal de passageiros.

Em Março de 2000 foi inaugurado o novo terminal de passageiros pelo então Presidente da República Fernando Henrique Cardoso, com capacidade para 1,5 milhão de viajantes ao ano.

Com a inauguração do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante em 2014, o Augusto Severo foi desativado para a aviação civil comercial, passando para uso exclusivo da FAB. É importante frisar que a Base Aérea de Natal, além de ser uma Base localizada num local muito estratégico, é também um importante centro de adestramento de pilotos militares, até os dias atuais.

A transição

Como citado anteriormente, o novo aeroporto de Natal foi concebido com o intuito de separar a aviação civil da militar, o que ocorria no Augusto Severo. Em 1996 as primeiras desapropriações dos terrenos começaram, e entre 1997 e 2000, o terreno foi cercado, desmatado e terraplanado.

Em fevereiro de 2008, o decreto nº 6373 inclui o aeroporto no Programa Nacional de Desestatização e em 2009, contudo, um termo de cooperação com o 1º Grupamento de Engenharia do Exército Brasileiro foi assinado para a construção das pistas de pouso, as pistas de táxi, infraestrutura de balizamento e proteção ao voo, sistema de drenagem, pátio de estacionamento de aeronaves, e acesso terrestre dentro do sítio aeroportuário.

Após mais de uma década do início das obras, o aeroporto é incluído na Matriz de Responsabilidades da Copa do Mundo FIFA 2014, ganhando maior celeridade, pois a cidade de Natal receberia jogos daquela Copa.

Em maio de 2011, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) divulgou o edital de concessão do aeroporto, sendo o leilão para a escolha do consórcio vencedor ocorrido na Bolsa de Valores de São Paulo. O Consórcio Inframérica Aeroportos, formado pelas empresas Infravix (Brasil), e pela argentina Corporación América venceu o leilão que foi bastante disputado e ganhou o direito de construir e administrar o complexo aeroportuário por 28 anos. No dia 28 de novembro de 2011, com a presença da então Presidente da República Dilma Rousseff, foi assinado o contrato de concessão do aeroporto ao Consórcio Inframérica. Com essa assinatura, as obras do terminal de passageiros e cargas, a cargo da concessionária, começaram em agosto de 2012.

Houve uma celeridade da construção do terminal. Porém, as obras de acesso ao aeroporto, objeto de repercussão na imprensa nacional devido aos atrasos, só foram iniciadas ao final de 2013, período muito próximo ao início da Copa do Mundo em 2014.

Ultímas obras em 2014.

Em dezembro de 2013, o Exército finalizou as obras sob sua responsabilidade, e ainda naquele mês, o aeroporto teve sua denominação modificada para “Aeroporto Internacional do Rio Grande do Norte/São Gonçalo do Amarante – Governador Aluízio Alves”, em homenagem a Aluísio Alves, político potiguar que foi governador do Estado no período de 1961 e 1965.

Cerimônia de inauguração do Novo Aeroporto de Natal, 2013.

O aeroporto iniciou suas atividades no dia 31 de maio de 2014, sendo o primeiro pouso realizado por uma aeronave da LATAM Airlines, e o aeroporto foi inaugurado oficialmente em 9 de junho de 2014. O Acesso Norte, devidamente pavimentado e iluminado, também foi inaugurado junto ao terminal.

Em setembro de 2016, o Aeroporto Internacional de Natal foi considerado o maior exportador do Nordeste brasileiro, tendo entre junho de 2015 e julho de 2016 exportado mais de 5.800 toneladas de cargas. Hoje o Terminal de Cargas Brasil – TCB Natal possui 4 mil m² de área construída, sete câmaras frias, depósitos para armazenamento de cargas perigosas e 1.495,97 m² destinados ao recebimento de cargas vivas. A estrutura atual permite importação e exportação de diferentes tipos e quantidades de mercadorias. O TCB Natal também tem a seu favor a posição geográfica, pois é o armazém mais próximo da África e Europa, diminuindo a distância e os custos da exportação.

Carga de frutas sendo embarcada em uma aeronave MD-11 cargueira da companhia Lufthansa.

Dados Técnicos e Operacionais

O Aeroporto Internacional de Natal dispõe de um amplo saguão de embarque, 45 balcões de check-in, 12 totens de self check-in, self bag tag, Wi-fi grátis para todos os passageiros e sistema de bagagens cem por cento automatizado. Área total do sítio aeroportuário: 15.000.000,00m²

Área total do TPS-1: 40 mil m2

Pista principal: 3000m x 60m

Taxiway paralela: 3000 x 60m

Elevação: 88m (289 pés)

Siglas ICAO/IATA: SBSG/NAT

Pátio de aeronaves: 26 posições

Estacionamento: 1.500 vagas

Capacidade de receber aeronaves de grande porte como o Airbus A380

Capacidade para operação de hub

Sala VIP

Aeroporto totalmente climatizado

COM – TORRE 118.200 118.850
SOLO 121.700
TRÁFEGO 121.000
ATIS 127.600
RDONAV – VOR/DME SGA 115.9 ILS/DME 12 ISG 109.7

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Continue Conectado

Artigos Relacionados